Modelo: 978-85-54862-25-1
Disponibilidade: Em estoque
R$32,00

O feminismo, tanto no cinema quanto de maneira geral, tem como ponto de partida textos “protofeministas”, como O segundo sexo, de Simone de Beauvoir, no qual se encontra a célebre reflexão de que “não se nasce mulher”, mas sim se exercita constantemente o “ser mulher”, para “tornar-se mulher”.
As primeiras manifestações da onda feminista mostraram que o machismo cinematográfico, da mesma forma que o machismo do mundo real, é multiforme no que se refere à representação da mulher na grande tela, especialmente percebido pelos estereótipos “negativos” – virgens, putas, vamps, interesseiras, joguetes eróticos – que demonizavam ou transformavam as mulheres em objetos sexuais, alocadas no bordel de celuloide. A beleza do corpo feminino era empregada para interromper o andamento da narrativa, com close-ups dos quais emanava um poder mágico e erótico. Assim, o sujeito masculino era o condutor ativo da narrativa; e o feminino, um objeto passivo, uma mera passageira no mundo cinematográfico.
As teóricas feministas que se voltaram contra essa situação revisitaram a questão autoral, a partir de uma perspectiva feminista, na busca de uma linguagem cinematográfica capaz de expressar o “desejo feminino”, o que se materializou em produções de diretoras consagradas, como Agnès Varda, Naomi Kawase ou Chantal Akerman, entre outras que vão além da guerra dos sexos e das identidades de gênero.

Título: Cinema e Psicanálise Vol. 8 - A Tela do Feminino ao Feminismo
Autores: Ana Lucília Rodrigues e Christian Ingo Lenz Dunker
Tema: Cinema / Psicanálise / Filme / Feminismo
ISBN: 978-85-5486-225-1
N.º de páginas: 126
Formato: 14 cm x 21 cm
Acabamento: Brochura
Lançamento: Setembro 2019

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.