Performance Diária
Performance Diária

Performance Diária

Modelo: Literatura
Disponibilidade: Em Estoque
R$ 42,00

Como resposta criativa a um período conturbado de sua vida, e inspirado em um trecho da música Diariamente, de Marisa Monte (“para todas as coisas: dicionário/para que fiquem prontas: paciência’’),Felipe Bittencourt inventou um projeto de performance por dia e os publicou em sei flickr, até às 10 horas da manhã, durante o período de um ano. Assim como fotogramas de seus dias, cada proposta deixa entrever o estado de espírito do artista, que se nomeia sempre como “performer”

Juliana Moraes

Bailarina, coreográfica e professora. Doutora em Artes pela UNICAMP, Mestre e Pós-graduada em Dança pela Laban Centre, de Londres.

 

“Fazer algo novo todo dia” costuma ser uma resolução de fim de ano comum, ou um desafio curioso de pessoas entediadas com a mesmice da rotina. No entanto, quando essa resolução é assumida por um artista visual cuja atuação é a performance, essa meta pode ganhar vida própria, corpo e se tornar algo que se move sozinha. Foi o que aconteceu com o performer Felipe Bittencourt. Para lidar com um período conturbado de sua vida, o artista decidiu ao longo de um ano, todos os dias, conceber, desenhar e publicar em sua conta do flickr uma performance artística nova. O exercício, que começou sem grandes pretensões, cresceu, fez parte de uma exposição no Sesc em Santa Catarina e teve até mesmo uma performance realizada no Chile. Como a proposta envolvia idealizar uma performance por dia, é possível ver a variação do humor do artista ao longo do ano, em ideias cômicas ou melancólicas, e até mesmo observar a lista de performances como uma narrativa linear, num curioso exercício de como os eventos episódicos do cotidiano se acumulam para criar um coletivo que possui sentido completo. Apesar de a arte performática ainda ser uma forma de expressão artística com público reduzido, a linguagem simples do livro e os desenhos de Bittencourt tornam a obra de fácil digestão, podendo ser apreciada por todos os públicos. A escolha por usar no projeto gráfico a fotocópia dos desenhos originais do autor – conservando inclusive erros no texto das performances - também é coerente com a proposta do livro, e é outro paralelo com as mudanças que o indivíduo sofre com o passar do tempo. Numa possível metáfora de como nossos projetos, sejam executados ou não, acabam por definir nossas mudanças, a performance final do projeto de Felipe foi reunir todas as performances em um livro e publicar, concretizando a ideia em ato e cristalizando a máxima cíclica que a arte imita a vida, que imita a arte, que imita a vida...

FICHA TÉCNICA:
Autor: Felipe Bittencourt
Páginas: 384
Formato: 15 x 15 cm
ISBN: 978-85-64013-54-4

Fazer um comentário

Seu Nome:


Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Ruim           Bom

Digite o código da imagem:



Descrição

Como resposta criativa a um período conturbado de sua vida, e inspirado em um trecho da música Diariamente, de Marisa Monte (“para todas as coisas: dicionário/para que fiquem prontas: paciência’’),Felipe Bittencourt inventou um projeto de performance por dia e os publicou em sei flickr, até às 10 horas da manhã, durante o período de um ano. Assim como fotogramas de seus dias, cada proposta deixa entrever o estado de espírito do artista, que se nomeia sempre como “performer”

Juliana Moraes

Bailarina, coreográfica e professora. Doutora em Artes pela UNICAMP, Mestre e Pós-graduada em Dança pela Laban Centre, de Londres.

 

“Fazer algo novo todo dia” costuma ser uma resolução de fim de ano comum, ou um desafio curioso de pessoas entediadas com a mesmice da rotina. No entanto, quando essa resolução é assumida por um artista visual cuja atuação é a performance, essa meta pode ganhar vida própria, corpo e se tornar algo que se move sozinha. Foi o que aconteceu com o performer Felipe Bittencourt. Para lidar com um período conturbado de sua vida, o artista decidiu ao longo de um ano, todos os dias, conceber, desenhar e publicar em sua conta do flickr uma performance artística nova. O exercício, que começou sem grandes pretensões, cresceu, fez parte de uma exposição no Sesc em Santa Catarina e teve até mesmo uma performance realizada no Chile. Como a proposta envolvia idealizar uma performance por dia, é possível ver a variação do humor do artista ao longo do ano, em ideias cômicas ou melancólicas, e até mesmo observar a lista de performances como uma narrativa linear, num curioso exercício de como os eventos episódicos do cotidiano se acumulam para criar um coletivo que possui sentido completo. Apesar de a arte performática ainda ser uma forma de expressão artística com público reduzido, a linguagem simples do livro e os desenhos de Bittencourt tornam a obra de fácil digestão, podendo ser apreciada por todos os públicos. A escolha por usar no projeto gráfico a fotocópia dos desenhos originais do autor – conservando inclusive erros no texto das performances - também é coerente com a proposta do livro, e é outro paralelo com as mudanças que o indivíduo sofre com o passar do tempo. Numa possível metáfora de como nossos projetos, sejam executados ou não, acabam por definir nossas mudanças, a performance final do projeto de Felipe foi reunir todas as performances em um livro e publicar, concretizando a ideia em ato e cristalizando a máxima cíclica que a arte imita a vida, que imita a arte, que imita a vida...

FICHA TÉCNICA:
Autor: Felipe Bittencourt
Páginas: 384
Formato: 15 x 15 cm
ISBN: 978-85-64013-54-4

Fazer um comentário

Seu Nome:


Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Ruim           Bom

Digite o código da imagem:



2017 © Editora nVersos - Todos os direitos reservados